Arquivo da categoria: Design & Cia

Design Gráfico e outros projetos

Site Interlog – Distribuição e Soluções em Logística (BH/MG)

.

O projeto do site Interlog foi concebido com o objetivo de atuar como um primeiro passo rumo a um portal informações e serviços da empresa. Personalizado com grafismos e cores derivados do estudo da identidade visual da organização, ele apresenta base de programação Content Management SystemsCMS” em Plone e vinhetas animadas em Flash.

Continuar lendo Site Interlog – Distribuição e Soluções em Logística (BH/MG)

Anúncios

convite do casamento de David e Rúbia

.

Este foi outro convite com um projeto diferente e gostoso de fazer. Não só pelo projeto, mas também pelos noivos que são pessoas muito queridas.

Os noivos gostavam muito de viajar e se aventurar por destinos paradisíacos e exóticos (foi justamente numa destas viagens que acabei os conhecendo). Daí veio a idéia de contar a história deles através destes passeios.

Continuar lendo convite do casamento de David e Rúbia

Convite do casamento de Amanda e Charles

.

No caso desta arte de convite alternativa, o conceito que trabalhamos foi o de dar ares mais modernos e informais à linguagem, seguindo o desejo e a orientação dos noivos.

Foi criada uma caricatura (noivinhos) num estilo de anime japonês, num formato com dobraduras que caberia no bolso, fosse fácil de guardar e que ia se revelando a medida em que se desdobrava.

Este “álbum de lembranças” trazia uma foto polaroide dos dois em contra ponto aos noivinhos ilustrados da capa. O texto do convite em si, obedecendo a uma convenção mais formal de diagramação. Uma frase, escolhida pelos noivos, que traduz uma faceta importante da relação deles, e um mapa de como chegar ao local da celebração.

Como a noiva é jornalista e a história deles é bastante divertida, no verso do convite, quando todo aberto, vem um resumo bem humorado da vida deles como se tivesse sido feito como um clipping de recortes das notícias de jornal. Como vocês podem ver abaixo. Continuar lendo Convite do casamento de Amanda e Charles

dança de salão GLS

Tive a oportunidade de trabalhar em um projeto muito interessante, o lançamento da primeira turma de dança de salão no Estado de Minas Gerais especialmente voltada para o público GLS.

A iniciativa inovadora foi de uma das mais tradicionais e respeitadas academias de dança de salão de Belo Horizonte, a Pé de Valsa.  Além das já concorridas turmas para todas as idades e com ritmos variados, ela oferece agora também turmas em horários diferenciados, preparadas especificamente, e com toda a privacidade para atender a este público.

Continuar lendo dança de salão GLS

camisa os 10esperados na copa

.

Ficou pronta a camisa dos 10esperados na copa 2010!

Esta edição comemorativa leva estampada no peito a marca do grupo, o escudo BH/MG/Brasil nas mangas e um número de 1 a 10 nas costas, correspondo ao patrono 10esperado daquela camisa.  A iniciativa e viabilização do projeto partiram do Vice Presidente Sérgio Lamego. A confecção foi feita com pedidos por encomenda e a distribuição aconteceu na concentração para assistir ao primeiro jogo do Brasil na Copa do Mundo 2010 (Brasil 2 x 1 Coréia do Norte). Esta edição esgotou-se de imediato, sendo que as poucas unidades que foram confeccionadas a mais foram disputadas no tapa.

Veja também a camisa oficial dos 10esperados e leia a famosa Enlaça de Baldrame (ata fundamental do grupo) – que está em exposição permanente em uma parede do Bar da Neca bem em cima da choppeira – neste outro post: Mudanças de estação
.

Propriedade intelectual e direito de publicação de informação

.
Com a proposta da disponibilização dos trabalhos e estudos academicos no blog, surgiu uma questão ética sobre a propriedade intelectual e direito de publicação da informação, na qual gostaria que todos opinassem, especialmente os professores, por serem mais entendedores do assunto e também por ser ele uma questão altamente relevante ao tema do curso de Pós-graduação em Gestão Estratégica da Informação / UFMG.

A minha opinião é que o monopólio sobre informação hoje praticamente inexiste. Qualquer forma de publicação, seja ela na internet ou não, está passível de cópia. Já estudei bastante o assunto há alguns anos para escrever o meu TCC de graduação em publicidade {que por sinal também está disponível no blog: TCM 05 – alefilizzola.com (nov 2008)} e estou convencido que o melhor é divulgar e compartilhar logo a produção e se posicionar como autor e produtor de informação, do que ficar guardando debaixo do colchão e correr o risco de alguém fazer isto antes e ela acabar ficando velha e ultrapassada.

Acredito ainda que a própria publicação é uma forma de atestarmos a nossa autoria no projeto, além do que, uma vez que o estudo foi desenvolvido em uma universidade pública federal, apresentado a uma turma de pós-graduação, entregue e validado por um professor doutor da cadeira, de qualquer modo, ele já não será inédito ou mesmo sigiloso. Além do que, sempre tenho o cuidado de citar todos os autores tanto na introdução do post, quanto de preservar isso na capa do trabalho também. Caso seja do interesse resguardar ainda mais os direitos autorais sobre a obra, há uma maneira relativamente simples e barata de fazê-lo que é o registro na Biblioteca Nacional. Não sei se isso seria possível de realizar diretamente na própria UFMG, que é atestadamente produtora e mantenedora de conhecimento e inovações.

Qual a opinião de vocês?

alessandro filizzola

Otimização de processos informacionais

.

Análise do fluxo de informação para o
d
esenvolvimento de um projeto para website

UFMG/NITEG / Pós-graduação em GEI

Disciplina: Princípios de Tecnologia e Sistemas de Informação
Professor: Renato Rocha Souza

Equipe:
Alessandro Filizzola
Amanda Navarro
Gleicilane Franco
Patricia Canarim

Apresentação: O atual trabalho tem como objetivo identificar e sistematizar os principais critérios de informação envolvidos no processo de criação e desenvolvimento de um serviço ou produto. Neste caso, ficou estabelecido o desenvolvimento de um projeto web para um cliente que já foi, ou seja, que já contratou o serviço que será desenvolvido. O estudo aqui proposto abordará os principais percursos e os desvios que ocorrem na elaboração de um projeto, partindo da 1ª reunião de coleta de informações (briefing), até a publicação final do produto (website). Ele ainda vai sugerir operações que tornarão o processo mais eficiente, proporcionando aos integrantes do grupo uma percepção do processo de informação neste tipo de firma.

PDF – tx otimização de fluxo web 2 – CENSORED

PDF – slides apresentação trab fluxo web prof renato – CENSORED

ps.: lamentavelmente, mas em respeito ao pedido de um dos colaboradores, os arquivos deste trabalho tiveram parte de seu conteúdo sob censura, portanto bloqueados. Assim como também esta pessoa teve seu nome excluído dos créditos.
.

Desktops Pós-graduação em Gestão Estratégica da Informação – UFMG

.
Desktops sobre o Curso de Especialização em Gestão Estratégica da Informação/UFMG

Obs. estas imagens são para compartilhamento não comercial entre os entusiastas da GEI e de concepção livre do autor, não representando, em nenhuma instancia, material oficial da UFMG.

(imagens podem ser baixadas para uso como fundo de tela no desktop – 1280 x 800 pixels)

Boas Festas!

2009 foi um ano de muitas mudanças e acontecimentos, algumas tristes, mas felizmente, muitas outras alegres.
acredito realmente que a base para felicidade é a constante transformação, manter o movimento e a flexibilidade de acordo com os acontecimentos.

Desejo a todos um Feliz Natal e um 2010 ainda melhor!

um grande abraço, Alessandro.

“Todos estes que aí estão
Atravancando o meu caminho,
Eles passarão.
Eu passarinho!”
(Poeminho do Contra – Mário Quintana)

E que venha 2010!

Mudanças de estação

Estes dois trabalhos de que falo aqui neste post foram bem atípicos. Acaba que no dia-a-dia vamos nos habituando a uma rotina mais comerciail e quando surgem mudanças de sintonia, como nestes casos, costumam ser sempre muito bem vindas.

Estas camisetas que relaciono aqui primeiro foram feitas a pedido do Flávio Bressan lá em BSB para a inauguração da Brasília Kustom Pinturas Personalizadas e aproveitando a carona das vendas de fim de ano. Mesmo eu sendo um viragueiro apaixonado, foi divertido o exercício com as Boulevard a partir das frases do Bressan pra pilhar o pessoal do BOG (Bolulevard Owners Group).

warriorr´s ride c1500
warrior´s ride c1500
viva la revolución "boulevariana" m800!
viva la revolución “boulevariana” m800!

Já este outro trabalho me garantiu, inclusive, o título de “Diretor de Design” como membro patrono da cadeira de número 07 no seleto grupo dos “10esperados”. Com o detalhe de que teve ata oficial feita a partir de uma foto da mesa de reunião do grupo e uma compilação do texto que instituiu e deu posse aos membros (inclusive com os erros de direito).

adesivo os 10esperados
adesivo com a marca “os 10esperados”
camisa oficial os 10esperados
camisa oficial “os 10esperados”
a enlaça de baldrame
a enlaça de baldrame

Workshop de Caligrafia

integrantes do workshop
participantes do workshop - foto: Rafael Neder
Andréa Branco fazendo mágica - foto Rafael Neder
Andréa Branco fazendo mágica - foto Rafael Neder

 Fotos do workshop ministrado por Andréa Branco, realizado na Tipografia do Zé e promovido pelo Rafael Neder nos dias 23 e 24 de outubro de 2009. O workshop ofereceu uma introdução ao universo das letras. Através de exercícios práticos, uma breve história da escrita e da análise de diversos trabalhos.

Além de um tema e uma habilidade fascinantes, é diversão garantida. Recomendo mesmo pra quem não é designer.

Continuar lendo Workshop de Caligrafia

Tudo de bom agora e sempre!

postal_de_natal_2008-alefilizzola-copy

2008 foi um ano intenso, muita coisa aconteceu. Algumas conquistas importantes, novos amigos e também perdas significativas.  Ainda assim, uma fase de grande amadurecimento e de mais uma etapa de vida cumprida.

 

Desejo a todos um feliz Natal e que 2009 seja um ano cheio de alegrias e caminhos que nos levem sempre mais pra perto da realização dos nossos sonhos.

 

Um grande abraço, Alessandro.

Memorial da graduação publicitária

O site recebeu uma página de portifólio e um álbum fotográfico com trabalhos diversos. Com isto ele atinge sua estrutura mínima para ser lançado oficialmente.

 

 Como ele foi concebido a partir do meu projeto da monografia de conclusão do curso de produção publicitária (TCC), aproveito a deixa para fazer aqui uma galeria retrospectiva dos trabalhos de conclusão de cada módulo do curso (TCMs).

TCM 05 – alefilizzola.com (nov 2008)

cpmonoale

TCC – Trabalho de Conclusão do Curso de Produção Publicitária

RESUMO

Este trabalho foi proposto como tema para o TCC (Trabalho de Conclusão de Curso), sob a orientação da Professora Adriana Sampaio, do curso de Produção Publicitária da FAZ, Belém, Pará, 2008. O desafio lançado seria o de desenvolver o projeto de um website. Dentre os diversos produtos e abordagens que a internet permitiria, optou-se por se desenvolver um trabalho autoral, baseado na própria obra do elaborador deste estudo. Um espaço virtual onde ele pudesse divulgar tanto seu portfólio pessoal quanto profissional, artigos e opiniões. O resultado apurado, que concilia conceitos da web 2.0 – como blogs e fotologs – valoriza ao conteúdo e prima pela simplicidade. Um sítio na rede mundial de computadores que atende com eficiência às necessidades de uma “existência virtual” do autor.

 

Continuar lendo TCM 05 – alefilizzola.com (nov 2008)

TCM 04 – Olhando Belém (jun 2008)

 marca-olhando-belem-c-area-maior-de-protecao-rgb

 layout-postais-olhando-belem-redux

Sobre a concepção deste trabalho

 

A capital paraense apresenta uma característica peculiar e em contra-senso com o que ocorre na maioria das cidades banhadas pelo mar — no caso de Belém, um “rio-mar”, as águas da Baia do Guajará — e com exuberantes recursos naturais: ela cresceu “de costas” para eles.

  Continuar lendo TCM 04 – Olhando Belém (jun 2008)

TCM 03 – Círio: fé e arte de um povo (nov 2007)

 

jornal-anuncio-tcc-cirio-2007-redux

marca-tcm-cirio-2007

 

O desafio era desenvolver uma campanha de divulgação do Círio de Nazaré para além das divisas do estado do Pará, onde ele acontece. Foi um projeto de caráter experimental que causou alguma polêmica, brincando com a profusão de elementos e cores tão características desta festa.

O Círio de Nazaré foi trabalhado de maneira abrangente, destacando suas principais referências, através de imagens expressivas, e informando sobre seu significado com breves textos de apoio.

O objetivo da campanha desenvolvida é familiarizar a população brasileira com este evento e divulgar valores da cultura e identidade paraense, através de uma abordagem institucional, e preparando terreno para que, no futuro, ações promocionais sejam realizadas.

Este trabalho foi realizado sob a orientação da Professora e Coordenadora Marina Castro, do curso de Produção Publicitária da FAZ, Belém, Pará, durante o segundo semestre de 2007.

Continuar lendo TCM 03 – Círio: fé e arte de um povo (nov 2007)

TCM 02 – Sou cego, mas é você que não me vê (jun 2007)

 

marca-cegos

capa-heraldo-cegos

Sobre este trabalho

 

A APPD (Associação Paraense das Pessoas com Deficiência) foi escolhida como a destinatária do estudo e esforços de campanha. Como as diferentes deficiências exigem diferentes abordagens, definiu-se como meta da ação, a deficiência visual.

 

Continuar lendo TCM 02 – Sou cego, mas é você que não me vê (jun 2007)

TCM 01 – Eleltro Guitarrada

capas_eletro-guitarrada_alefilizzola1

 

Este trabalho, desenvolvido em parceria com Michelle Maia e Alessandro Machado, propõe 4 soluções gráficas baseadas em públicos distintos, mas dentro de um mesmo conceito central.  Um trabalho de flexibilização d aplicação que explora os signos presentes em cada um dos contextos. Nele há ainda um estudo tipográfico baseado na pesquisa de tipos realizada por Fernanda Martins sobre as embarcações na Amazônia.

 

O projeto foi baseado no seguinte briefing:

 

Continuar lendo TCM 01 – Eleltro Guitarrada

“O palito no computador”

Rauzito já dizia: “… tão frágil quanto um computador (…) com um só palito para o motor”.

Foi o que aconteceu comigo ontem. Senti na pele o que era passar pra valer uma uma das desculpas dadas mais freqüentemente dadas por quem trabalha com computador: o HD travou e quase perdi tudo.

 

Impressionante a dependência que essa máquina cria em nós. E o desespero que dá quando ele nos falta. Foi um dia de pânico sob a ameaça de perder tudo. Todos os meus trabalhos recentes.

 

Com a ajuda de um amigo, passamos por vários técnicos, e consegui recuperar os arquivos de trabalho, embora tenha perdido todo o sistema, programas e configurações. Ainda assim o prejuízo foi grande, tive que comprar outro HD, fazer o backup etc. Quase dois dias depois e ainda não consegui voltar ao trabalho, ficando por conta apenas de reinstalar tudo.

 

Fica aí o meu conselho e a lição aprendida: tenha sempre cópias atualizadas de tudo o que for importante. E não seja tão cético quando te disserem que não deu pra entregar algo devido a um pau no computador, pode ser verdade.

Levando uma surra

Montar um blog está sendo mais demorado e trabalhoso que eu imaginava. Mesmo com banda larga as ferramentas são lentas e não tão fáceis de usar como eu esperava. Bem, tudo é relativamente novo pra mim nesta blogsfera, quero crer que a medida que vou experimentado diferentes programas de construção e me habituando com as rotinas tudo fique melhor de manejar. Bora ver.

Existência Virtual

cpmonoale

A primeira vez em que montei uma página pessoal, ainda nos primórdios da internet, foi uma experiência interessante, apesar dos parcos recursos disponíveis à época. Ela já continha um esboço de portfólio e algumas brincadeiras, entre textos e montagens de fotos concebidos por pura malandragem. Acabou se perdendo no tempo por falta de uso e manutenção. Uma das coisas que mais me fascinavam eram os contadores de acesso. Eu e meus amigos ficávamos inventando meios de fazer com que o número de visitas aumentasse o máximo possível. Ainda não estávamos atentos ao tipo de visitantes que atraíamos. O que interessava eram apenas os números absolutos. Valia tudo, então. Cadastrar a home page em sites de busca com palavras relacionadas a sexo davam um bom ibope (o AltaVista era o top de linha da época e o Google nem boato era ainda). Um dos meus colegas chegou, inclusive, a criar links escondidos na página de abertura que levavam os felizardos descobridores a imensos acervos de fotos que vocês bem podem imaginar como eram. Até hoje, desconheço alguém que tivesse uma coletânea maior que a dele. Um belo dia, o site dele foi parar num grupo de debate na Finlândia e o contador da página disparou. Foram tantos acessos que o site saiu do ar com uma sobrecarga do provedor. Acabou chamando muito a atenção e, depois deste pico súbito de popularidade, a página deste nosso amigo teve que sumir do mapa sem deixar rastros (mas o acervo ainda existe que eu sei – e continua crescendo).

 

De lá pra cá, sempre valorizei muito a representação virtual e todos os estúdios e agências de que fui sócio tiveram uma página na internet. Meu primeiro escritório tinha como objetivo maior a criação de websites, inclusive. Só que eu acreditava mais no negócio que meu sócio, que acabou optando por dedicar-se exclusivamente à programação de sistemas. Sempre recomendei aos meus clientes que tivessem um bom sítio e continuei fazendo o planejamento gráfico de conteúdo e navegação, mas desisti há muito tempo de fazer a programação. Afinal,esta era uma praia que exigia muita dedicação para ser viável economicamente e minha paixão sempre foi o design. Não dava pé virar programador. Lembro do “seu” Bruno dizendo certa vez: “seu” Jota, não importa o quanto se estude e se especialize em programação pra web, vai sempre ter aquela vez em que um moleque adolescente vai saber alguma coisa que você que é técnico em informática, graduado em ciências da computação e engenharia, não sabe.

 

A tarefa de preparar material de portfólio para manter um site pessoal e as trabalhosas atualizações de programação acabavam por me desanimar na hora de ressuscitar o meu espaço virtual. Cheguei a montar um perfil no Orkut por pressão dos amigos, mas nunca me interessei muito por aquilo. Agora, aproveitando a deixa da minha monografia e trabalho de conclusão do curso de publicidade, resolvi realizar todo o meu projeto ao redor de um site autoral, o meu site autoral.

 

A proposta de adotar o formato de blog e aproveitar módulos pré-existentes na internet foi para tornar a usabilidade mais fácil e ágil, uma vez que os internautas já estão habituados com eles. Outra vantagem foi a de poder me concentrar na produção de conteúdo e atualizá-lo a partir de qualquer computador, através dos recursos disponibilizados pela própria internet. Assim sendo, criei este espaço pra falar de design, propaganda, artes, culinária, viagens, fotografia e tantos outros assuntos que são do meu interesse e, acredito, sejam do de vocês também. E o melhor de tudo é que estes posts são dinâmicos e interativos! Dessa forma, vocês também podem participar enviando comentários e enriquecendo os assuntos.

 

É um prazer dividir este espaço com vocês.

 

interm-ilus

ilustrações feitas para um daqueles primeiros sites