As Mulheres do Sistema – Women of the System

Photos and article: Alessandro Filizzola
English translation: Catherine Spreadbury

Das margens do Rio Amazonas no norte do Brasil vem o exemplo de como a humanização do sistema carcerário aliado ao empreendedorismo podem ser poderosos aliados na redução da violência e da criminalidade. Em junho de 2018 tive a oportunidade visitar o Presídio Feminino do Estado do Pará e de conhecer de perto e documentar o premiado trabalho realizado por eles. Trabalho este que hoje é modelo para todo o sistema carcerário do Brasil e vem sendo foco de reportagens não só no Brasil como no mundo. A idea era fotografar o dia dia destas mulheres, tanto das detentas, quanto das funcionárias, mas lá encontrei muito mais do que poderia esperar.

From the banks of the Amazon river in northern Brazil comes an example of how the humanization of the prison system and entrepreneurship can be powerful allies in the reduction of violence and criminality. In June 2018, I had the opportunity to visit the Pará female state prison and to get up close and document the prize-winning work carried out there. This work today serves as a model for the entire prison system in Brazil and has been reported on not only in Brazil but in the rest of the world too. The idea was to photograph the day to day life of these women, both inmates and the staff, but I found much more there than I could have hoped for.

View of the patio between the cells in one of the courtyards.

Bandido bom é bandido morto. Provavelmente você já ouviu esta frase dita por alguém em tom de solução definitiva para a criminalidade. A redução do problema à desumanização do infrator pela negação do seu direito à vida e, por consequência, do direito ao perdão, à dignidade e à qualquer forma de recuperação. Mas, e se o bandido em questão for um ente querido? Não que alguém próximo possa se reduzir a tanto. 

To many Brazilians, the phrase “the only good criminal is a dead criminal” is a commonly heard saying. Many people have heard this phrase used as if it were a definitive solution for criminality. The reduction of the problem by dehumanizing perpetrators in order to deny their right to life and consequently, the loss of their right to forgiveness, to dignity and to any form of rehabilitation. However, what if the criminal in question were a loved one? Not that anyone that close to you would reduce themselves to this little.

Afinal, isso só acontece com os outros, não é mesmo? Mas aí, neste distante exemplo, talvez você queira então modificar o final da frase mais ou menos assim: bandido bom é bandido morto… desde que ele não seja o seu filho, ou a sua mãe, ou alguém que você ame. Aí talvez você acredite que a recuperação seja possível. E que a recuperação – que não se confunda com impunidade – deva ser promovida durante o encarceramento, para que, ao final da pena, uma pessoa com novas perspectivas, e que tenha pagado por seus crimes, seja então aceita e recebida mais uma vez no seio na sociedade. Com este pensamento, a Dr. Carmen Gomes, diretora do presídio, criou a Coostafe – Cooperativa Social de Trabalho Arte Feminina Empreendedora é a primeira cooperativa de mulheres encarceradas do Brasil.

Of course, this only happens to other people, right? So perhaps, in this hypothetical example, you’d feel the need to modify the ending of the phrase in question so that it goes more or less like this: “the only good criminal is a dead criminal…as long as it’s not your child, or your mother, or someone that you love” Then perhaps, you would believe that rehabilitation might be possible. Perhaps that rehabilitation- which ought not to be confused with impunity- should be provided during incarceration, so that at the end of the sentence, a person with new perspectives, that has paid for their crimes might be accepted and received back into the heart of society. It was with this idea, that Dr Carmen Gomes, director of the prison, created COOSTAFE, The Social Cooperative for Female Entrepreneur Art Work (Cooperativa Social de Trabalho Arte Feminina Empreendedora in Portuguese) and the first cooperative for incarcerated women in Brazil.

Inmates working outdoors as gardeners in a public park in Belem.

Nesta cooperativa as detentas têm a oportunidade de trabalhar com artesanato e gerar renda para si próprias e para as suas famílias. Lá elas aprendem também a resgatar a auto estima e o sentimento de pertencimento à comunidade. Contanto com parcerias no setor privado e voluntários, no presídio as detentas também tem acesso à aulas de alfabetização e ensino fundamental, pintura, dança, música, informática e capoeira, só pra citar algumas. As vagas estão abertas à todas, a condição para participar é simples: boa vontade e bom comportamento.

Within this cooperative, the detainees have the opportunity to work with handicrafts and earn an income for themselves and for their families. There, the women also learn to recover their self-esteem and their sense of belonging to the community. Working with partners within the private sector and volunteers, the detainees at the prison have access to literacy classes and basic education, as well as painting, dance, music, IT and capoeira, to name just a few. Spaces are open to all; the conditions for participating are simple: good will and good behavior.

Esta iniciativa que parece simples encontrou – e encontra – diversos desafios. O principal, talvez, seja a mudança de mentalidade de todos os envolvidos, não só das detentas, mas também dos membros de toda a equipe do presídio. Esta transformação é facilmente notada na atmosfera da instituição. Diferentemente da imagem violenta e brutalizada que era de se esperar num presídio de qualquer capital – especialmente em se tratando de um na Amazônia – , o clima é descontraído e cordial. As presas são tratadas pelo nome e têm liberdade para conversar com as pessoas da equipe. Os carcereiros não portam armas e o presídio conta com áreas de beleza e tranquilidade inesperadas, como um bem cuidado jardim que é mantido pelas detentas.

This seemingly simple initiative has faced -and continues to face-diverse challenges. The main one perhaps, was the need for a change in mentality of all of those involved; not only from the inmates but also from the members of the prison staff. This transformation is easily observed in the atmosphere of the prison. Far from the violent and brutal image that you would expect in any major city prison – especially when we are talking about one in the Amazon– the atmosphere is relaxed and cordial. The prisoners are spoken to by name and are allowed to speak to staff. The prison guards don’t carry guns and the prison has unexpected areas of beauty and tranquility, like for example the well looked after garden which is maintained by the inmates.

Dr Carmen Gomes proudly holding one of the handicrafts produced by the cooperative. She is the prison warden and the initiator of the COOSTAFE.

Mas não foi sempre assim, no início era diferente, nos conta a Drs. Carmen. Onde hoje se encontra o jardim, antes era um terreno abandonado que servia como depósito de entulho. A cozinha servia refeições sem qualquer controle de qualidade e as detentas passavam os dias confinadas em suas celas sem qualquer atividade ocupacional, profissionalizante ou mesmo recreativa, como as que o hoje o presídio oferece. Não se acreditava que as coisas poderiam ser diferentes e haviam constantes rebeliões. As ameaças vinham de ambas as partes, das detentas para as funcionárias e vice-versa.

However, it wasn’t always like this, at the start is was different says Dr Carmen. Where today you can find a garden, there was an abandoned plot that served as a dump. The kitchen served meals without any kind of quality control and the inmates spent their days confined to their cells without any occupational activity-vocational or even recreational-which the prison offers today. They didn’t believe that things could be any different and there were constant riots. The threats came from both sides, from the inmates towards the staff and vice-versa.

Não é que hoje tudo seja perfeito e que as detentas vivam num paraíso. A realidade continua dura para as internas; as pessoas que lá trabalham tem uma função clara a desempenhar e não podem esquecer-se disso. As detentas estão longe de cumprirem suas penas em condições luxuosas e cheias de mordomia. Não é isso. O presídio enfrenta problemas de recursos e infra-estrutura como os que se veem em tantos outros pelo Brasil. O que acontece é que, no final do dia, a convivência pacífica e mais harmoniosa interessa e beneficia a todas. A mudança de mentalidade na gestão do sistema faz toda a diferença. Para as detentas, um dia mais leve em suas penas; para as funcionárias, mais um dia de trabalho sem incidentes que se encerra e elas seguem de volta para as suas famílias e vida fora do cárcere.

It’s not that today everything’s perfect and that inmates live in paradise. The reality continues to be hard for the inmates; and of course, the staff have clear duties to carry out which they can’t forget. The inmates are far from being able to carry out their sentences in luxurious conditions with all the comforts of home. No, it’s not like that. The prison faces problems with resources and infrastructure, just as you can see in so many others in Brazil. What they have found here though, at the end of the day, is a more peaceful way of living together, one that is more harmonious, which interests and benefits everyone. The change in mentality in the management of the system makes all the difference. For the inmates, it’s one day lighter as they carry out their sentences; for the staff, it’s one more day without incidents trailing them, so they can keep going back to their families and life outside of prison.

Preacher blessing an inmate through the wire fence in a moment of prayer.

Nas palavras da diretora: “tudo o que não serve para a sociedade, serve para o crime”. E o problema está justamente na sociedade que rejeita antes mesmo de o crime acontecer. O problema vem na estrutura das famílias desestruturadas em sua essência. A grande maioria das detentas que lá estão não escolheram o seu destino, foram levadas pelas circunstâncias: pela pobreza, pelo sofrimento, pela necessidade e uma sucessão de decisões ruins que, finalmente, as puseram onde estão. E, mesmo para as que tiveram melhores recursos para discernir, e mesmo assim optaram pelo crime, não nos cabe julgar e punir além das suas sentenças. 

In the words of the director: ‘everything that doesn’t serve society, serves crime’. The problem is with a society that rejects people even before a crime has happened. The problem is found in the structure of family which is broken in its’ essence. The large majority of inmates are there not because they chose their destiny, but because they were taken there by their circumstances: by poverty, by suffering, by abuse, by necessity, and by a succession of bad decisions, that in the end, landed them where they are. Even those that should have known better still chose crime, it’s not up to us to judge and punish them more than their sentences require.

O julgamento já foi feito por um juiz e em nome da sociedade. Durante o tempo de reclusão, espera-se que as detentas se recuperem para, uma vez libertas outra vez, tenham aprendido com os seus erros, sejam produtivas e aptas a um novo estilo de vida. Mas geralmente não é o que acontece. Abandonadas pela sociedade e brutalizadas pelo sistema, apenas o crime as acolhe. E nele elas se especializam e se reconhecem. Entretanto, o que se vê neste CRF – Centro de Recuperação Feminino – é o que todo centro de detenção deveria prover: uma genuína oportunidade de vida nova após o cárcere.

Judgement has already been passed on these inmates by a judge for society’s benefit. During imprisonment it’s hoped that inmates will rehabilitate so that once they are free again, they will have learned from their mistakes, and be productive and ready for a new lifestyle; but generally, this just doesn’t happen. Abandoned by society and brutalized by the system, a life of crime is life as they know it, and how they identify themselves. However, what we see happening in the CRF (Feminine Rehabilitation Centre) is what all detention centers should provide: a genuine opportunity for life after prison.

Maternity area for pregnant inmates or those with toddlers.

Já há alguns anos vinha acompanhando com entusiamo o trabalho realizado pela Dra. Carmen no CRF. Quando finalmente surgiu a oportunidade e recebi foi formalizado o convite para registrar o empreendedorismo da Coostafe e demais iniciativas de reinclusão social promovidas pelo CRF com o apoio da SUSIPE – Superintendência do Sistema Penitenciário do Estado do Pará, fiquei particularmente empolgado com a oportunidade de retratar este lado positivo e nos motiva a ter esperança , não só de que o sistema pode funcionar a favor da população, mas principalmente pela crença na capacidade de recuperação e superação do ser humano.

It has been a few years since I started enthusiastically following the work of Dr Carmen at the CRF. When an opportunity finally came up and I was formally invited to follow the entrepreneurship of COOSTAFE and similar initiatives for social reintegration, promoted by the CRF, with the support of the SUSIPE (Bureau of the penitentiary system of the state of Pará) I was filled with enthusiasm. I was excited to be able to portray the positive side of the system which encourages us to have hope that the system can work for the benefit of the population and hope in the belief in the human capacity to rehabilitate and overcome.

Acredito que trabalhos de denúncia são importantes para a mudança do sistema, mas francamente, ao meu ver, a exploração da miséria humana apenas pelo potencial de impacto das imagens já foi suficiente divulgado. Depois de um tempo, o choque causado tende à mesmerização e amortecimento da população, sem, no entanto, propor uma solução. A pauta era: vamos mostrar o que pode dar certo!

I believe that investigative reports are important to change the system, but frankly, the way I see it we’ve already seen plenty of human misery portrayed through photography in this sector. After a while, the shock caused by these kinds of reports tends towards a numbing and a dampening of the popular response to it without providing a solution. Our plan was this: let’s show what they can do right!

The dance class is just one of the many creative activities offered to the inmates by volunteers in the prison.

Além da qualidade do artesanato produzido na cooperativa, chamou-me a atenção o papel fundamental daquele trabalho para a qualidade de vida daquelas mulheres, tanto das detentas quanto das funcionárias públicas envolvidas na gestão do presídio. Lá elas encontram uma oportunidade de convivência e de se reconhecerem como pessoas, não como antagonistas no sistema. A notícia de que havia um fotógrafo no presídio por aqueles dias se espalhou e, pra minha surpresa, mais do que trabalhadoras e detentas, elas começaram a se mostrar como mulheres. Mulheres como outras quaisquer. Com suas belezas e vaidades. 

In addition to the quality of the handicrafts being produced in the cooperative, it struck me that this work played a fundamental role in the quality of life for those women, as much for the inmates as for the staff involved in the management of the prison. There, they find an opportunity to live in such a way that they recognize each other as people, not as antagonists within a system. The news that there was a photographer in the prison during my visit spread and, to my surprise, more than workers and inmates, they started to show themselves as women. Women like any other; with their beauty and their vanities.

Pouco a pouco, as razões que levaram cada uma delas à aquele momento foram ficando menos importantes. Todas se tornavam modelos em frente à camera. Pouco a pouco iam se materializando aos meus olhos, pois elas ganhavam um rosto, um nome e suas histórias. É como se se fossem deixando de ser números e notícias distantes num jornal e fossem se tornando mais reais. E com esta proximidade, a empatia fica também mais possível. Mais possível também acreditar na recuperação e reintegração daquelas mulheres na sociedade. Fica mais fácil entender que elas podem ser definidas por suas atitudes de agora, e não pelo crime que uma vez cometeram.

Little by little, the reasons that brought each one of them to this point became less important. Each of them became models in front of the camera. Little by little before my eyes; they gained faces, names and stories. It was as if they stopped being numbers and old news in some newspaper and they were becoming more real. It is with this closeness, that empathy becomes more possible. It’s also more possible to believe in the rehabilitation and reintegration of those women in society. It becomes easier to understand that they can be defined by their attitudes now and not by the crimes they once committed.

Inmates posing enjoying themselves during the beauty photo session offered to them as a surprise. A portable studio was set up inside of the prison.

Dos dias que passei entre elas, via a transformação daquelas detentas em mães, filhas, esposas, avós e mulheres. Vi a solidariedade de umas com as outras e também um pouco das suas angústias e tristezas. Ví pessoas restituídas de sua razão para viver e se tornarem o melhor que puderam alcançar. Mulheres com motivos para tentar mais uma encontrar o seu lugar como pessoas de bem com um lugar na sociedade. E quem são estas mulheres? E em resposta a esta pergunta surgiu a motivação para este foto documental e também o título a esta matéria: As Mulheres do Sistema.

From the days that I spent among them, I saw the transformation of those inmates into mothers, daughters, wives, grandmothers and women. I saw the solidarity among them, and I also saw a little of their fears and sadness. I saw people who had been given back their reason for living and who were becoming the best that they could be. Women with motivation to try and find their place as good people with a place in society. Who are these women? It was the response to this question that motivated me to produce this photo series and also gave me the title of this work: Women of the System.

Trabalho de re-socialização, capacitação e geração de renda desenvolvido com as detentas do presídio feminino em Belém. Este projeto idealizado pela diretora da unidade prisional Carmen Gomes Botelho e com o apoio do Governo do Estado do Pará é pioneiro no Brasil e o primeiro a ser formado exclusivamente por mulheres presas. A iniciativa tem o objetivo de gerar emprego e renda para as detentas, como política de reinserção no mercado de trabalho, garantindo assim a cidadania às mulheres privadas de liberdade. COOSTAFE – Cooperativa Social de Trabalho Arte Feminia Empreendedora. CRF – Centro de Reeducação Feminino. SUSIPE – Superintendência do Sistema Penitenciário do Estado do Pará. Belém do Pará. Brasil. 28-31 de  Agosto de 2018. Fotografia:  Alessandro Filizzola | www.alesfilizzola.com

Agradecimentos:
Associação de Distribuidores e Atacadistas do Estado do Pará (ADAPA), Brazil Foundation, Escritório de Contabilidade Newton Santos, Observatório Social de Belem, RCS2 Cidade Velha, Sistema OCB-SESCOOP/PA, Somos Coop, Superintendência do Sistema Penitenciário do Estado do Pará

This article was originally published by Adriana Chiari Magazine / London in it’s edition 14 / DZ 2018 (p. 72 – 74):

https://e.issuu.com/anonymous-embed.html?u=adrianachiarimagazine&d=acmag_edi__o_14_final&p=72

To know more about Coostafe’s work and achievements, please also visit:

On Instagram:
https://www.instagram.com/coostafe/

On Facebook:
https://www.facebook.com/coostafe/

ONU Brasil (in Portuguese):
https://www.youtube.com/watch?v=yjjsFT-I3uI&app=desktop

BBC (in English):
https://vimeo.com/262966934

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s